Arquivos na categoria: Pacto pela Educação – MEC

Projeto: O Nosso Sistema Solar

Olá pessoal, tudo bem?

Desde 2013 participo do programa “Pacto Educacional – Educação na Idade Certa” ofertado pelo MEC aos professores da rede pública que trabalham com os alunos do ensino fundamental, séries iniciais. No decorrer das aulas de formação do Pacto, realizamos diversas atividades, projetos, planos de aula, sequências didáticas, enfim, trabalhamos com os educandos de várias maneiras sobre diversos conteúdos e um dos projetos que realizei com os meus pequenos foi “O Nosso Sistema Solar”, este saiu até na revista “Ponta Grossa – A leitura abre portas”, que foi distribuída da Feira do Livro da nossa cidade, como já comentei aqui. Abaixo, segue o projeto, espero que possa ajudar na criação de novas ideias para projetos com essa temática! ;)

PROJETO – O Nosso Sistema Solar

TEMA: O Sistema Solar, os astros luminosos e iluminados e os movimentos do planeta Terra (Rotação e Translação).

ÁREAS DO CONHECIMENTO: Ciências Naturais e Sociais, Matemática, Linguagem e Língua Portuguesa.

OBJETIVOS: Este projeto tem como objetivo alcançar os seguintes itens:

  • Identificar-se como parte integrante do Universo;
  • Identificar o Sol como estrela mais próxima da Terra e como fonte de luz;
  • Reconhecer a importância do Sol e da Lua para os seres vivos;
  • Compreender que os benefícios e malefícios da exposição ao sol;
  • Diferenciar os movimentos de rotação e translação da Terra;
  • Compreender que os dias e noites são conseqüências do movimento de rotação da Terra;
  • Compreender que as estações do ano são conseqüências do movimento de translação da Terra;
  • Estimular a produção textual dos alunos;
  • Compreender as idéias conceituais presentes na construção da tabuada do número oito;
  • Resolver situações problemas envolvendo diferentes cálculos, como adição, subtração e multiplicação.
  • Relembrar os Pontos Cardeais já trabalhados;
  • Estimular a criatividade através de produções artísticas com pintura, construção de maquetes e cartazes;
  • Propiciar o desenvolvimento da oralidade com exposição e explicação de trabalhos para os outros alunos da escola.

 PLANEJAMENTO: O projeto “O Nosso Sistema Solar” foi desenvolvido na Escola Municipal Professora Haydeê Ferreira de Oliveira, situada na cidade de Ponta Grossa, Paraná. Essa turma de 3o ano do ensino fundamental possui 27 alunos.

Primeiro dia

Iniciaremos a aula com a leitura do livro: “A Lua dentro do coco” de Sérgio Capparelli. Após leitura de tal livro, conversaremos sobre a Lua, o Sol e o Universo como um todo, a fim de descobrir qual o conhecimento sobre o assunto os alunos já possuem. Após leitura e conversa, faremos uma Ficha de leitura no caderno de desenho, onde os alunos terão que preencher algumas perguntas e ilustrar a parte da história que mais gostaram. A Ficha de leitura conterá as seguintes perguntas: Título, Autor, Personagens, Lugar, “Qual parte da história você mais gostou?” e Ilustre. Ao término da Ficha de Leitura, iniciaremos a atividade “A origem do Universo”, que tem como finalidade a compreensão dos alunos de como surgiu o Universo, tornando o assunto mais próximo, fazendo com que se reconheçam como um ser pertencente ao Universo.

Com esta breve compreensão sobre o surgimento do Universo, iniciarei o texto “Astros: o brilho do céu” a fim de fazê-los entender quais são tais astros, como produzem luz, a função do telescópio, entre outros aspectos. Logo em seguida, a atividade a ser realizada é um pequeno questionário com algumas perguntas sobre o texto, a fim de fixar tal conteúdo.

Após a resolução das questões acima, seguiremos em direção ao pátio da escola para podermos ver a Lua através de um Telescópio (lembrando que estamos no período lunar Quarto – Crescente, onde é possível visualizar a lua no período do dia), a fim de ilustrar o texto estudado em sala de aula.Seguindo a rotina escola, teremos uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o intervalo, seguiremos com o texto intitulado “Sol, fonte de vida”, o qual tratará sobre a importância do sol para a vida na Terra, os cuidados que devemos ter com o sol, o nascer e o pôr do sol, entre outros fatores, seguida de atividades referentes ao texto.

Após as atividades de fixação, segue a atividade a ser enviada como tarefa para os alunos.  “PESQUISE EM REVISTAS, JORNAIS OU NA INTERNET ALGUMA IMAGEM OU REPORTAGEM/MATÉRIA SOBRE O SISTEMA SOLAR (SOL, LUA, ESTRELA, PLANETAS). RECORTE E TRAGA AMANHÃ PARA A ESCOLA.”

Segundo Dia

- Leitura deleite: Jabuti Sabido e o macaco metido – Ana Maria Machado (texto que aborda diversos assuntos, incluindo os astros encontrados no céu).

Após a leitura deleite, iniciarei com as pesquisas feitas na tarefa, fazendo junto com os alunos um painel com todo o material trazido de casa. No segundo dia de projeto, abordarei o planeta Terra em vários aspectos, começando com o texto “A Terra”, que trata das representações e dos movimentos da Terra. Neste momento será utilizado o globo terrestre e o mapa mundi para explicação, além de balões de festa, de diferentes tamanhos, para melhor compreensão dos movimentos da Terra.

Seguindo a rotina escola, teremos uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o recreio estudaremos o texto “Estações do ano”, que relatará como acontecem as estações, quais são elas e suas características:

Após a leitura e explicação do texto acima, os alunos deverão realizar uma produção textual, onde escolherão a sua estação do ano favorita e elaborarão uma história a partir de tal estação. A atividade para casa será a ilustração de uma das estações do ano (serão feitos grupos e cada grupo será responsável por uma estação), com esses desenhos serão confeccionas quatro cartazes (um para cada estação) que serão expostos juntamente com os outros trabalhos no final do projeto.

Terceiro dia

- Leitura deleite: O sonho de Ícaro – Adriana Bernardino.

Iniciaremos a aula com a correção da tarefa e confecção dos cartazes. Em seguida, trabalharemos as fazes da Lua, relembrando a aula de segunda feira, onde os alunos visualizaram a Lua através de um Telescópio, indagando o que eles lembravam e o que mais conhecem sobre tal assunto. Partindo disso, estudaremos o texto “Lua: Satélite natural da Terra”. Para melhor entendimento, serão utilizados cartazes durante a explicação.

Seguindo a rotina escola, teremos aula de Educação Física, uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o recreio retomares as atividades em sala de aula iniciando sobre o Sistema Solar e seus planetas, partindo do texto “O Sistema Solar”. Para melhor compreensão do conteúdo, serão utilizados balões de festa para ilustrar tal tema, sendo que um balão grande será o sol e outro balão menor será a Terra, afim de mostrar o quanto Sol é maior que a Terra e os demais planetas. Após, faremos algumas atividades relacionadas ao tema:

A atividade para ser feita em casa será a confecção de um cartaz com o Sistema Solar. Os alunos receberão um copia dos planetas e deverão fazer um cartaz colocando os planetas na ordem correta e desenhando a sua órbita. “PINTE E RECORTE OS PLANETAS DA FOLHA. COLE EM UMA CARTOLINA EM SUA ORDEM CORRETA (MERCÚRIO, VÊNUS, TERRA, MARTE, JÚPITER, SATURNO, URANO E NETUNO), E DESENHE A SUA ORBITA. CAPRICHE!”

 

Quarto dia

- Leitura deleite: Lino – André Neves

Iniciaremos a aula com a entrega dos cartazes, em seguida, retornaremos os assuntos trabalhados na semana anterior, através de uma conversa onde os alunos comentaram o que mais gostaram e o que recordam de tal assunto. Após a conversa, iremos ao laboratório de informática e teremos acesso à Planetários Virtuais, ou seja, os alunos terão contato com o céu e seus astros virtualmente, podendo fazer um passeio no universo. Temos acesso a esses Planetários virtuais através de:

Stellarium: é um software gratuito. Ele simula o céu em 3D da mesma maneira que podemos enxergar a olho nu, com um binóculo ou com um telescópio. Este software pode ser configurado para mostrar os nomes dos planetas, de nebulosas, desenhos de galáxias, entre outros e ainda podemos procurar um astro específico.

Solar System Scope: é um site que permite observar os corpos celestes e suas órbitas, podendo aproximar ou distanciar dos planetas, podendo também alternar entre a visão heliocêntrica, geocêntrica e panorâmica. O site ainda oferece opções como a visualização de constelações, nomes das estrelas, a distância entre elas e os corpos do sistema solar, bem como suas respectivas posições ao longo do tempo.

KStars é um programa de computador já existente nos computadores da escola. Este tem a capacidade de exibir uma simulação gráfica do céu noturno de qualquer lugar da Terra, em qualquer data e horário.

Após visualizarmos os Planetários vistuais, dividiremos a sala em grupos e cada grupo ficará responsável por escrever uma frase sobre o Sistema Solar. Essas frases serão digitadas pelos alunos e impressas, para em seguida serem utilizadas em cartazes. Seguindo a rotina escola, teremos uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o recreio, retomares as atividades em sala de aula, englobando os conhecimentos matemáticos ao tema estudado através atividades realizadas no caderno.

Quinto dia

- Leitura deleite: O ônibus mágico – Perdidos no Sistema Solar – Joanna Cole e Bruce Degen

Iniciaremos a aula com a entrega do restante dos cartazes. Seguindo a temática do projeto, utilizaremos o livro didático de Ciências “A Escola á Nossa”, dos autores Karina Pessoa e Leonel Favarelli, com a Unidade 2, o qual resume tudo o que vimos até agora. Seguindo a rotina escola, teremos uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o recreio, retornaremos a sala de aula onde faremos um texto coletivo sobre tudo que foi aprendido no decorrer do projeto, sendo que, com este texto farei um cartaz que será exposto juntamente com os outros trabalhos.

Sexto dia

- Leitura deleite: Viagem ao céu – Monteiro Lobato

Iniciaremos a aula separando os alunos em grupos e faremos maquetes do sistema solar. Para isso os alunos utilizaram bolas de isopor de diversos tamanhos, que serão pintadas e colocadas em placas de isopor, também pintadas. Eles terão contato a livros e suas próprias atividades como forma de pesquisar o tamanho, as cores dos planetas e a suas localizações. Seguindo a rotina escola, teremos uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o recreio, confeccionaremos pequenos convites, que serão entregues aos alunos e professores das outras turmas, para que venham prestigiar a nossa exposição do Sistema Solar, que se realizará no dia seguinte.

Sétimo dia

- Leitura deleite: Azul e lindo Planeta Terra, nossa casa – Ruth Rocha e Otavio Roth

Logo após a leitura deleite, entregaremos aos alunos das outras salas o “convite” para a exposição que se realizará no dia de hoje, após o recreio. Depois de entregar os convites, os alunos pintaram a capa das atividades realizadas no decorrer do projeto, sendo que estas serão grampeadas como um livro e entregue aos alunos. Em seguida, arrumaremos a sala de aula, expondo os cartazes e painéis feitos no decorrer do projeto, as maquetes e demais trabalhos. Cada grupo ficará responsável por explicar seus materiais aos outros colegas. Seguindo a rotina escola, teremos uma pausa para o lanche dos alunos, seguido de recreio. Após o recreio realizada a exposição dos alunos.

 EXECUÇÃO: A execução do projeto se deu de forma muito proveitosa e prazerosa, pois foram aulas dinâmicas e divertidas, fazendo com que os alunos se interessassem pelo conteúdo e participassem com entusiasmo. No primeiro dia de projeto, iniciamos com a leitura do livro “A Lua dentro do Coco” como já foi citado, partindo disso fizemos uma “Ficha de Leitura”, em seguida fizemos as atividades destinadas para o dia. No segundo dia, iniciamos com a atividade e a explicação se deu através de mapas, globos e com balões de festa, como mostram as fotos:

No terceiro dia de projeto, fizemos duas atividades, sendo que na explicação foram utilizados cartazes para melhor entendimento e também balões para dar a noção de tamanho entre o Sol e o planeta Terra:

No quarto dia, realizamos as atividades na sala de informática, seguida e exercícios relacionados com os conteúdos de matemática, a serem realizados no caderno de atividades. No dia seguinte, trabalhamos com o livro didático utilizados pelos alunos e a elaboração de um texto coletivo sobre o tema estudado. No sexto dia de aplicação, confeccionamos maquetes do Sistema Solar, como mostra as fotos abaixo, e também foram elaborados convites para serem entregues aos outros alunos da escola e lembrancinha para o dia da exposição.

No último dia do nosso projeto, os alunos pintaram a capa de suas atividades e em seguida arrumamos a sala para a exposição. A exposição foi muito proveitosa e divertida, onde os alunos ficaram responsáveis por explicar seus trabalhos aos outros colegas:

APRESENTAÇÃO: A apresentação se deu em forma de exposição aos demais alunos e professores da escola, sendo muito proveitosa, pois os alunos estavam muito empolgados e animados em poderem mostrar suas atividades aos demais colegas da escola.

MATERIAIS NECESSÁRIOS: Telescópio, internet, computadores, cartolina, papel cartão, balões de festa, E.V.A.’s, isopor, bolas de isopor, palitos de churrasco, tinta, cola, cola colorida, glitter e atividades impressas.

PRODUTO: O produto final realizou-se através de uma exposição dos materiais confeccionados pelos alunos, sendo eles:

  • Painel coletivo com pesquisas relacionadas com o Sistema Solar;
  • Cartaz coletivo com ilustrações das quatro estações do ano (sendo que cada estação tinha um cartaz);
  • Cartaz individual com o Sistema Solar;
  • Cartaz com as frases feitas em cada grupo (grupo de apresentação na exposição);
  • Maquetes elaboradas e construídas por cada grupo.

Esses materiais foram organizados na sala de aula, separados em grupos de execução, sendo que cada grupo ficou responsável pela explicação de sua maquete e cartazes. No dia da exposição, os alunos foram de sala em sala para convidar seus colegas da escola para irem visitar nossa exposição, para isso confeccionaram convites a serem entregues para cada aluno e suas respectivas professoras. Os alunos da escola, no horário combinado, foram visitar a exposição e ao termino da visita receberam uma “lembrancinha”, sendo esta uma mensagem sobre o Sistema Solar e um pirulito colado na mesma.

AVALIAÇÃO: O projeto é uma forma muito prazerosa de ensinar, pois os alunos se sentem motivados e estimulados a aprender. Com a minha experiência na aplicação do projeto senti o quanto eles estavam gostam de aprender dessa forma, pois desde o inicio mencionei a eles que no termino do projeto teria uma exposição para os outros alunos da escola, isso fez com que eles caprichassem mais, se esforçassem a aprender. Até nos dias de hoje, mesmo já tendo terminado o projeto, eles me questionam se iram apresentar estes novos trabalhos em sala, me questionam também quanto terão outra exposição. O conteúdo ensinado (Sistema Solar) foi aprendido com bastante êxito, hoje eles compreendem perfeitamente os movimentos que a Terra faz, quais são os demais planetas do Sistema Solar e diversos outros conceitos estudados. Acredito que o projeto é um excelente mecanismo de ensino, que motiva os alunos a aprender e também a buscarem o conhecimento.

Espero que tenham gostado e que possa ser útil em sala de aula! Beijos :*

Obs: Os texto e imagens utilizados nas atividades realizadas com os alunos, foram retirados do Google e reorganizadas para facilitar a utilização das mesmas.

“O tempo” – Compreensão da passagem do tempo

Olá pessoal, tudo bem?

Realizei com meus alunos de 1º ano, a um tempo atrás, algumas atividades de linguagem e matemática, relacionando-as com o livro “O tempo” de Ivo Minkovicius. A ideia principal seria trabalhar a compreensão dos alunos sobre o tempo, como o percebemos e entendemos tal assunto. Para isso, apliquei as seguintes atividades:

Planejamento e aplicação

Primeiro dia

Leitura do livro: “O Tempo”, seguida de conversa sobre a temática abordada pelo livro, realizando assim uma interpretação oral. Neste momento, questionei os alunos sobre como compreendem o tempo, sendo que a grande maioria relacionou-o com o tempo climático, relatando o tempo como chuvoso, ensolarado, entre outros. Em seguida, conversamos sobre como podemos contar o tempo no relógio, no calendário e outras diversas formas que podemos entender como “tempo”.

Partindo da história, fizemos uma lista de palavras, onde os alunos, coletivamente, falavam coisas que consideravam coerentes com o texto. As palavras foram as seguintes: relógio, calendário, data de nascimento, aniversário, idade, dia, mês e ano. E por fim, os alunos fizeram desenhos, ilustrando a história trabalhada. Esses desenhos foram colocados no mural “Nossas Histórias”, situado em uma das paredes da sala de aula.

Segundo dia

Neste dia confeccionamos um livro intitulado “Como usamos o nosso tempo?” (Retirei a capa do nosso livrinho do site Amo Matemática Infantil), onde fizemos frases coletivas sobre quatro diferentes momentos do dia (de manhã, ao meio dia, à tarde e à noite), sendo ilustrado após cada frase. Este tinha como finalidade fazer com que o aluno compreendesse a passagem do tempo no seu dia-a-dia.

Terceiro dia

Iniciamos a terceira aula confeccionando um cartaz com as figuras que os alunos trouxeram de casa, as quais foram solicitadas no dia anterior como tarefa. Essa atividade tinha a finalidade de fazer os alunos repensarem o que compreendem sobre o tempo.

Foi construído, juntamente com os alunos, um relógio do tempo. Expliquei para que serve um relógio convencional e como o utilizamos, em seguida confeccionamos um relógio que, ao invés de números, tinha os climas encontrados no nosso dia-a-dia, como frio, calor, chuva, entre outros.

 

Quarto dia:

Em um cartaz foi disposto o poema “O relógio” de Vinicius de Morais, texto este que foi lido e conversado com a turma, relacionado-o com o livro “O tempo”. Em seguida, convoquei os alunos para que encontrássemos as vogais em tal texto, feito isso, todos os alunos, um a um, vieram até o cartaz e circularam uma das letras que encontraram.

Após a decoração do nosso cartaz com pintura de relógios, os alunos construíram um gráfico com as vogais encontradas em tal poema, elencando as mais utilizadas e as que menos apareciam no texto.

 

Com essas atividades, trabalhei a compreensão de tempo, partindo das ideias dos próprios educandos. Uma forma prática e simples de trabalhar tais conceitos.

Beijos e até a próxima!

“As centopéias e seus sapatinhos” – Gênero bilhete e noção numérica

Olá pessoal, tudo bem?

Trabalhei um tempo atrás o livro “As centopéias e seus sapatinhos”, do autor Milton Camargo, explorando o gênero textual “Bilhete” e numerais de 1 á 10, destinando as atividades à educandos de 1º ano.

Planejamento e aplicação:

Inicie as atividades com a leitura da história: “As centopéias e seus sapatinhos”, seguida de conversa sobre a temática abordada pelo livro.

No caderno de atividades, trabalhamos com o gênero “bilhete”, através da proposta de escrever um bilhete para a vendedora da história, dizendo que a personagem centopéia não poderá ir comprar os sapatos, realizando um elo entre o que foi ouvido e a atividade a ser realizada.

Fazer textos coletivos é sempre prazeroso, as crianças se divertem aprendendo. Eles se empolgam e adoram inventar histórias! O nosso bilhete ficou da seguinte forma:

“DONA JOANINHA

NÃO PODEREI IR À SUA LOJA COMPRAR SAPATOS PORQUE CAÍ DA ESCADA E QUEBREI QUATRO PERNINHAS.

CENTOPÉIA”

Em seguida, trabalhamos com os alunos os numerais de 1 a 10, usando as partes do corpo da centopéia para exemplificar as quantidades. Os alunos confeccionaram um cartaz, colando bolinhas correspondentes às quantidades indicadas.

Com tampinhas de garrafas, demos continuidade a atividade anterior, contando as tampinhas e 1 a 10 e montando uma centopéia. Utilizei tampinhas de garrafa pet para que todos pudessem contar até o número 10 com materiais concretos, podendo ter uma noção real da quantidade. Comecei pedindo para que eles separassem uma tampinha, depois duas, três, até que chegassem ao dez. Feito isso, deixei que brincassem com as tampinhas, montando uma centopéia.

Por fim, os alunos receberam uma centopéia semelhante a centopéia do cartaz, para que pintassem e numerassem até 10. Depois, recortaram e colaram no caderno de desenho.

 

Uma atividade simples para trabalhar o gênero “Bilhete” e noções de quantidade de numerais de 1 a 10.

Beijos e até a próxima! ;)

Sequência didática: “Quem vai ficar com o pêssego?” – Medidas de Massa, Comprimento e Capacidade

Apliquei a algum tempo atrás uma Sequência Didática utilizando a história “Quem vai ficar com o pêssego?”, do autor Yoon Ah-Hae, com a intenção de trabalhar as medidas de massa, comprimento e capacidade em uma turma de 1º ano, de uma forma divertida e prazerosa.

SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Planejamento e aplicação:

Primeiro dia

- Atividades propostas: Comecei as atividades da sequência didática com a leitura do livro “Quem vai ficar com o pêssego?”, seguida de conversa sobre o tema. Após a leitura do livro, iniciemos as noções de MEDIDAS DE COMPRIMENTO, fazendo uma ligação com a história que ouvimos. Para isso, medimos cada aluno com um pedaço de barbante; estes barbantes foram dispostos em um cartaz, para que os alunos pudessem visualizar quem é o mais alto, o mais baixo e quantos são do mesmo tamanho.

Com essas atividades realizadas, mostrei para os educandos o metro, a trena, a régua, questionando-os se sabem para que serve e o que podemos medir com tais instrumentos. Dando continuidade à aula, utilizei o livro de matemática “Bem-me-quer”, material disponibilizado para todos os alunos em sala de aula.

- Síntese Integradora: Brincadeira “Mamãe eu posso?”; os alunos, na quadra da escola, ficarão enfileirados, um líder dará as ordens, sendo elas: Passo de formiguinha (passos bem pequenos), Passos de cachorro (passos normais) e Passos de elefantes (passos bem grandes) a fim de perceberem como as distâncias podem variar, mesmo utilizando o mesmo tipo de passo, pois temos pés de tamanhos diferentes, assim como os animais da história estudada.

Segundo dia

- Atividades propostas: Retomarei a história contada no dia anterior “Quem vai ficar com o pêssego?”, relembrando que um dos fatores do desempate na história seria o peso dos personagens. Em seguida, os alunos foram pesados com uma balança, para podermos comparar os seus pesos e ver quais são mais pesados, os mais leves e quais tem o mesmo peso.

Após a pesagem, fizemos uma brincadeira onde os alunos, divididos em dois grupos, deveriam comparar o peso diversos produtos (pacotes de alimentos, frutas, caixas, entre outros) afim de perceber qual é o mais pesado, iniciando assim a MEDIDA DE MASSA. Dando continuidade à aula, utilizei o livro de matemática “Bem-me-quer”, como já foi citado, material disponibilizado a todos os alunos em sala de aula.

- Síntese Integradora: Partindo do livro trabalhado, escrevemos uma carta para os animais da história, sugerindo que eles dividissem o tal pêssego entre eles e como é bom dividir as coisas com os nossos colegas.

 

Terceiro dia

- Atividades propostas: Retomei novamente a leitura do livro “Quem vai ficar com o pêssego?”, mais agora a proposta é a escrita de uma receita de suco de pêssego, propondo também a divisão deste suco a todos os personagens da história. (Lembrando que se trata de uma turma de 1º ano, logo, a divisão será feita em forma de desenho). Esta receita foi exposta em um cartaz no fundo da sala.

Para introduzir a MEDIDA DE CAPACIDADE, foi feita a seguinte experiência: em duas jarras de tamanhos diferentes, havia a mesma quantidade de água. Questionei os alunos sobre qual jarra tem mais água; em seguida, dividi as jarras de suco em copos iguais, mostrando assim que as jarras possuem a mesma quantidade de suco, fazendo com que os educandos percebam que as jarras eram diferentes, mas possuíam a mesma capacidade. Dando continuidade à aula, utilizarei o livro de matemática “Bem-me-quer”.

- Síntese integradora: mostrar aos alunos uma jarra com medida para 2 litros de água e questioná-los: “Se eu tenho 8 pacotinhos de suco, cada pacote precisa ser misturado a 1 litro de água, precisarei de quantas jarras de 2 litros para fazer os 8 pacotinhos de suco?”. Preparar o suco juntamente crianças para perceberem o quanto de água foi usado. No final, cada aluno receberá um copo de suco.

Quarto dia

- Atividades propostas: Retomei a história trabalhada no decorrer da semana e o que aprendemos durante esta semana. Em seguida, fizemos um cartaz coletivo com recortes de revistas, dividindo em três grupos: METRO, LITRO e PESO.

- Síntese integradora: Os alunos desenharam em seus cadernos tudo o que aprendemos no decorrer desta semana.

Uma Sequência Didática simples, mas que trabalha de forma integrada as medidas de massa, comprimento e capacidade. Espero que tenham gostado!

;*

Sequência didática: Amarelinha

Olá pessoal!

Todos sabemos a importância das brincadeiras para o desenvolvimento integral de nossas crianças, por esse motivo elaborei uma sequência didática, seguindo a proposta sugerida pelo PNAIC (PACTO), a partir de uma brincadeira muito popular e conhecida por nossos pequenos, a Amarelinha.

SEQUÊNCIA DIDÁTICA

TEMA: Amarelinha

Planejamento e aplicação

A Sequência Didática realizada com os alunos tem como tema central a “Amarelinha”, brincadeira que será explorada no decorrer das atividades.

Para iniciarmos a Sequência Didática, interrogarei os alunos, questionando-os se conhecem a brincadeira Amarelinha, como devemos brincar e quais são as regras para tal brincadeira, em seguida, cada educando elaborou individualmente um texto descrevendo tais regras para a brincadeira.

Após a elaboração dos textos realizados pelos educandos, fazemos uma pesquisa na internet para adquirirmos mas informações sobre a brincadeira estudada. Com a pesquisa feita, cada alunos relatou aos colegas o que viu de diferente, desenvolvendo e estimulando a oralidade dos alunos.

Com as regras e as etapas da Amarelinha bem definidas, escrevemos coletivamente uma redação que serviu como um texto instrucional, onde os alunos puderam se basear para brincar conforme as regras.

Desta forma, além de estimular a brincadeira “Amarelinha”, os educandos tiveram contato com mais um gênero textual, além de estimulá-los a cumprirem as regras de forma divertida e prazerosa.

Após o estudo sobre o tema, fomos brincar no pátio da escola, utilizando as regras aprendidas e a criatividade para elaborar o desenho de suas amarelinhas:

Espero que tenham gostado! Até a próxima! ;)

Sequência Didática: Receita de Brigadeiro

Olá pessoal, tudo bem?

Essa semana apliquei uma sequência didática com o gênero textual “Receita Culinária”, aproveitei a sequência para a atividade proposta pelo PNAIC (PACTO) e fiz junto com as atividades da Lousa Digital que precisava aplicar também, uni o útil ao agradável e fiz os dois na mesma temática! rs ;)

 SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Tema: Gênero receita culinária

Planejamento e aplicação

Para iniciar a Sequência Didática, solicitei aos alunos que enviassem como tarefa uma receita culinária de sua preferência.

No dia seguinte, iniciamos a aula com “O sanduiche da Maricota” de Avelino Guedes (quem quiser a história digitalizada, o blog Mundinho da Criança disponibiliza ele AQUI), enfatizando a receita e os ingredientes utilizados no decorrer da história. Após breve conversa sobre “O sanduiche de Maricota”, retomamos as receitas que os alunos trouxeram de casa, analisando a estrutura do texto e seus componentes como um todo, a fim de observarmos as características existentes em um texto de gênero receita culinária.

Em seguida, elencamos quais receitas eram doces e quais eram salgadas, quais receitas eram mais conhecidas pelos alunos e qual era a receita preferida da turma. Com essas informações montamos um gráfico para melhor visualização.

Retomamos nossas atividades sobre receita culinária com o auxílio da Lousa Digital, nela realizamos diversas atividades relacionadas ao tema e pertinentes para a compreensão dos alunos. A Lousa Digital é uma ótima maneira de chamar a atenção dos alunos e tornar as aulas mais dinâmicas e prazerosas.

Para tanto, utilizamos as seguintes atividades:

No segundo dia de aplicação da sequência didática, iniciei com a história do “Camilão, o comilão” de Ana Maria Machado (quem quiser a história digitalizada, o blog Alfabetização Cefapro de Pontes e Lacerda disponibiliza ele AQUI), retomando a aula do dia anterior.

Em seguida, solicitei aos alunos para que escrevessem a receita do brigadeiro da maneira que lembrassem, com seus ingredientes e modo de preparo. Após a escrita dos alunos, elaboramos um texto coletivo, reescrevemos tal texto reestruturando-o de forma a se tornar uma receita culinária. E por fim, observamos mais uma receita de brigadeiro:

Depois de muitos estudos sobre o tema, fizemos um delicioso brigadeiro utilizando a receita acima, onde todos os alunos participaram, relembrando a receita, seus ingredientes e modo de preparo, e ajudando na manipulação dos ingredientes.

 

A sequência didática foi realizada com sucesso, os alunos adoraram escrever receitas, principalmente na hora de por em prática a receita que estudamos. Acredito que tenha alcançado o objetivo desejado, pois os educandos compreenderam a função social de tal gênero textual, além de terem adorado a experiência de manipular a Lousa Digital.

Foi uma atividade muito gratificante, os alunos amaram a Lousa Digital e se divertiram mais ainda na elaboração dos brigadeiros. Aprender brincando é mais divertido! ;)

Beijos e até a próxima!

Revista Ponta Grossa – A literatura abre portas

Bom dia a todos!

 Pra começar, quero contar sobre um projeto que realizei ano passado, com meus alunos do 3º ano, referente ao Sistema Solar. O foco principal foram os planetas, os astros e os movimentos da Terra, porém, trabalhei também diversas áreas do conhecimento, além de vários gêneros textuais. Ficou tão bacana que até ganhou uma notinha na revista “Ponta Grossa – A leitura abre portas”, que foi distribuída da Feira do Livro deste ano.

 Esta revista, além de relatar mais sobre o meu projeto, fala um pouco de vários outros projetos realizados por professoras da rede, todos muito criativos, que acabam nos dando muitas ideias para trabalhar com nossos alunos. E ainda, muitas matérias interessantes; acredito que vale a pena dar uma olhadinha! Para ler a revista completa, clique aqui.

Beijos e até a próxima! ;)